Copy
Newsletter com a informação oficial da Rede Escolar Adventista em Portugal.
View this email in your browser

Natal 2014:
Boas prendas para dar e receber!


Chegou mais um Natal e com ele o habitual stress em torno das prendas para dar e receber! Antecipando o novo ano de 2015, em que a Igreja Adventista a nível mundial dará uma ênfase especial à temática da saúde, a Rede Escolar ASD gostaria de propor ao prezado leitor um conjunto de prendas saudáveis e significativas, que lhe permitirão seguramente “Viver Mais”. Serão oito sugestões, oito prendas de valor incalculável, oito remédios naturais que lhe trarão vida, “vida em abundância”.
 

Boas leituras! Dê boas prendas neste Natal, a si e aos seus.


Bom Natal! 

Tiago Alves
Diretor do Departamento de Educação da UPASD

Exercício e Descanso
Creche e Jardim de Infância Arco-Íris, Setúbal

 

Sempre ouvi dizer que “deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer”. Além de ser um ditado popular é, também uma grande verdade! O descanso é essencial para o bom funcionamento do nosso corpo. Quando nos privamos de uma noite de sono, o nosso corpo (esta máquina, outrora perfeita) sofre consequências graves que muitas vezes se refletem durante o dia seguinte ou até mesmo a longo prazo, quando o fazemos com mais frequência. 

Atualmente os adultos dormem pouco e deitam-se tarde. Mas mais preocupante ainda é que as crianças têm maus hábitos de sono! Esta é uma realidade generalizada. Quando os bebés nascem tem uma rotina de descanso atópica que é muito cansativa, especialmente para a mãe que também acorda para dar de mamar. Mas esta rotina é de curta duração. Perto dos seis meses, os bebés deverão ser capazes de dormir mais horas seguidas. E à medida que crescem, as crianças deverão ser capazes de dormir uma noite inteira. As crianças pequenas devem dormir entre 11 e 12 horas por noite, ou seja a sua hora de deitar deveria ser entre as 20h30 e as 21h, porque por norma, elas estão “programadas” para acordar entre as 7h30 e as 8h da manhã. Se as crianças se deitarem depois das 21h, elas vão acordar à mesma hora devido à sua “programação”, logo dormem menos horas, o que prejudica a sua saúde e o seu crescimento. O descanso é extremamente essencial para as crianças. Elas são muito ativas fisicamente durante o dia. Não precisam de marcar ou reservar uma hora para fazer exercício físico. Ao contrário dos adultos, não precisamos de lhes dizer que devem correr, saltar, brincar. Elas estão “programadas” para o fazer naturalmente ao longo do dia. 

Em muitos aspetos, deveríamos seguir o exemplo das crianças. O descanso e o atividade física são dois deles. Não foi por acaso que Jesus disse “(…) se não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus” (Mateus 18:3). 

Não nos esqueçamos que o descanso e a atividade física são essenciais e por isso devemos tê-las como bênçãos, porque sem elas o nosso corpo não será capaz de louvar e dignificar o Criador que outrora nos moldou e criou perfeitos.

Pessoal docente e não docente do Arco-Íris

Nutrição e Água:
presentes de Deus


Colégio Adventista
de Oliveira do Douro

 

Nesta época em que se fala tanto de presentes, todos seriam dispensáveis e a todos trocaríamos se passássemos fome e sede, ansiando por alimentos e água. Certamente, se um dia passássemos por um momento de fome, não haveria presente melhor do que comida, e se esse momento fosse de sede, não haveria presente melhor do que simplesmente água. 

A par do oxigénio, o alimento e a água são certamente elementos essenciais para a vida nesta terra. Qualquer ser vivo sobrevive apenas se tiver acesso a estes elementos, que lhe trarão produção de energia suficiente para manter os órgãos corporais em funcionamento. Além disso permitem que o corpo se movimente para busca de mais alimento e água. Ao contrário do oxigénio, que está disponível mesmo debaixo das nossas narinas, o alimento e a água requerem um esforço acrescido da nossa parte para serem encontrados, e o processo da transformação destes elementos, até que sejam úteis ao nosso corpo, é demorado e complexo. Reconhecemos a sabedoria que Deus utilizou na criação quando observamos todo este processo, mas acredito que Deus podia ter-nos criado sem a necessidade de comida e bebida. Poderíamos, simplesmente, respirar e obter a energia que necessitamos apenas do oxigénio, por exemplo. Mas não! Deus resolveu que seria necessário comer e beber para criar energia no nosso corpo. Podemos pensar que Ele decidiu isso, desta forma, porque queria dar-nos algum prazer nesse processo natural.

Quem ainda não sentiu o prazer de beber um copo de água fresca num dia de intenso calor? Ou o prazer de sentir fogo-de-artifício no cérebro quando comemos uma fruta doce e suculenta? Talvez tenha sido por isso. Ou então Deus quis ensinar-nos que nós não podemos sobreviver apenas contando connosco próprios. Dependemos da comida e da bebida pra sobrevivermos. Ninguém consegue sobreviver sem comer nem beber, e sabemos que, anualmente, morrem à fome ou à sede milhares de pessoas. E apesar de comermos e bebermos num momento, isso não é suficiente! Para sobrevivermos temos que comer e beber constantemente e, se pensarmos bem, é à volta destes dois elementos que a nossa vida gira. 

É Deus que nos dá o alimento e a água de cada dia, quanto mais não seja porque foi Ele que criou as fontes das águas, os cereais e as árvores de fruto. Será que cada vez que comemos e bebemos temos o coração agradecido? Ou já é tão banal comer e beber que até somos capazes de nos queixar de outras coisas que não temos, sendo elas na verdade dispensáveis? Temos um Deus maravilhoso que nos dá muito mais do que precisamos ou merecemos. Ele é a própria comida e a própria bebida (João 6:55). É realmente Ele que mantém a nossa vida e é por Ele que podemos ter vida eterna. “Jesus declarou: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.” (João 6:35) Temos nós bebido diariamente a presença de Jesus? Temos buscado a Sua palavra como verdadeira comida? 

Levemos os nossos filhos e/ou alunos a agradecer diariamente pelos presentes maravilhosos que Deus nos dá. Escolhamos com eles a comida e a bebida que o próprio Deus nos oferece e não a que vem do mundo. Alimentemo-nos e bebamos em família a palavra e a presença de Deus.

Filomena Magalhães, Professora de Educação Física do CAOD

Sol e Ar Puro

Externato Adventista do Funchal


Nesta época natalícia, a maioria de nós emprega algum do seu tempo livre à procura de prendas para os familiares e amigos. Pensamos nos seus gostos e caraterísticas pessoais, em alguma necessidade que possam ter no momento. Nesta procura, geralmente não ponderamos nenhuma alternativa a bens materiais. Paramos para pensar que prendas Jesus escolheria oferecer aos nossos filhos, cônjuges, aos nossos pais, irmãos, amigos…?

Reflitamos no que Jesus nos ensinou: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mateus 6:19-34

Na nossa vida diária buscamos incessantemente obter aquilo que ainda não temos e desejamos sobretudo oferecer às nossas crianças tudo o que precisam e por vezes não precisam, evitando a todo o custo que se sintam menores por não terem algo que um amigo tem.

A Palavra de Deus mostra-nos que boas prendas dar aos mais pequenos. Consideremos o exemplo de Jesus. “A vida do Salvador na Terra foi de comunhão com a Natureza e com Deus.” (Ellen White, Ciência do Bom Viver) Jesus refugiava-se na natureza para contemplar a luz matinal e respirar o ar puro que as árvores da floresta podiam oferecer. Era na natureza que encontrava a tranquilidade necessária para buscar a Deus e era também na natureza que ensinava aos seus alunos lições de simplicidade, onde procurava atrair-lhes a atenção das coisas supérfluas para as verdadeiramente importantes. 

Assim como Jesus se retirava, precisamos retirar as nossas crianças da imensidão de atividades em que participam, de um meio repleto de apelos ao consumismo e levá-las à contemplação do sol que Deus criou, permitir que beneficiem do ar puro que Deus coloca à nossa disposição. O tempo que separamos para estar com as nossas crianças ao ar livre é determinante para a sua saúde física e espiritual.

Nas nossas instituições também precisamos seguir o método de Jesus neste aspeto, planeando e implementando aulas ao ar livre. Procurámos contemplar no nosso masterplan espiritual a dinamização de atividades no exterior, onde os nossos alunos podem contactar com a natureza, usufruir da luz natural do sol, respirar ar puro e ao mesmo tempo aprender conteúdos. Estas experiências e aprendizagens tornam-se muito mais significativas e duradouras.

Aprendamos a desfrutar dos presentes que Deus permite recebermos a cada dia e a partilhá-los com os nossos queridos.


Natércia Ferreira, professora


Confiança em Deus

Colégio Adventista de Setúbal
 

Os Pais e educadores devem investir na formação das crianças transmitindo-lhes valores que as habilitem a sentirem-se seguras e protegidas.

Uma criança confiante é proativa, acredita que mesmo que alguma coisa corra mal da próxima vez será diferente. Os hábitos de confiança em Deus transmitidos pelos adultos e exercitados diariamente através da fé e da oração torna-os fortes e confiantes.

O melhor contributo para a formação de um jovem caráter é um exemplo coerente e saudável baseado em valores onde a preocupação pelos outros, o altruísmo, a humildade, a alegria, a acção positiva e a confiança transmitem uma sensação de bem-estar.

Não é fácil para uma criança acreditar no que diz o adulto se a sua maneira de ser e estar não está de acordo com aquilo que diz. Mas se as palavras são associadas a uma prática coerente, elas acreditam e seguem o exemplo com confiança.

Ouvi da boca de um pai que procurava incutir no filho confiança em si e em Deus, a seguinte história verídica:

Em família tinham combinado que se por qualquer motivo se perdessem uns dos outros as crianças esperariam pacientemente porque os pais viriam ali buscá-las. Um dia isso aconteceu e o menino de 5 anos sentou-se e esperou. Os adultos que passavam perguntavam: - “Estás perdido? Queres ajuda?” e ele respondia: - “Não estou perdido, estou à espera do meu pai”.

Um dos 8 remédios da natureza é a confiança e este sentimento é um bom presente para oferecermos a Deus neste Natal.

Jesus disse: “…Confiais em Deus? Confiai também em Mim… Voltarei outra vez” (João 14:1-3) Se exercitarmos a confiança diremos aos que passam: “Eu não estou perdido, estou à espera do meu Pai”

Esta é a mensagem que queremos transmitir aos nossos alunos neste Natal.

Marta Machado, professora e diretora pedagógica do CAS

Temperança - a melhor prenda de Natal

Oficina de Talentos, Lisboa
 

O papel da educação cristã não se limita à transmissão de conhecimentos ou de agendas educacionais. Num mundo ferido e doente, a educação adventista centraliza-se no desenvolvimento holístico dos seus alunos para um estilo de vida temperante, equilibrado, com bom senso e moderação, disciplinado, ou seja, focado no auto controlo. 


Como parte integrante da sua filosofia, a educação adventista adota padrões elevados de excelência espiritual que excluem do estilo de vida dos alunos o uso de tabaco, álcool, drogas e narcóticos, a imoralidade sexual e outras práticas que choquem com os valores bíblicos e impeçam a sua comunhão íntima com Jesus. Acredita ainda que estes princípios de vida ensinados aos mais novos, desde cedo, constituem o melhor legado às gerações futuras.

 

Vive-se na era radical. Na nossa sociedade, quase tudo é experimentado e vivido em excesso. Às tomadas de posição extremas aliam-se os radicalismos filosóficos, políticos e religiosos, os desportos radicais, o trabalho em excesso e, até a própria vida é, com frequência, levada ao extremo. Em síntese, a maioria das pessoas diverte-se demais, gasta demais, trabalha demais, come e bebe demais. Poderíamos dizer que, na atualidade, o ser humano está cada vez mais dependente de emoções fortes e adrenalina. Por isso, hoje, não é fácil desenvolver um estilo de vida equilibrado e temperante. 

 

Como educadores, ao pensarmos nas melhores prendas, sugerimos que, nesta época, o estilo de vida de cada um seja repensado como uma resposta racional e emocional (Rom 12:1-2) de gratidão à magnífica e misericordiosa salvação oferecida por Deus, através de Jesus Cristo - nosso Criador e Salvador. Acreditamos que esta será a melhor prenda a dar a si mesmo e aos seus queridos, vivendo-a em pleno e a partir deste Natal, para uma melhor saúde, mais vitalidade, maior felicidade e uma existência mais longa, prolongando-se pela eternidade. 

 

Se concordar, comece por romper com o sedentarismo fazendo exercício físico regular, sem excessos. Não esqueça que a luz solar é essencial à vida. Por isso, aproveite a bênção do beijo do sol que é curativo e potencia o processo que produz as substâncias nutritivas que alimentam e dão energia ao corpo. A água também é indispensável à vida no Planeta, e é a melhor bebida. Não esqueça a função terapêutica deste líquido insubstituível na higiene corporal. Evite ambientes poluídos e aproveite o sopro de vida que é o ar puro para oxigenar as células e estimular o corpo. Depois, goze a bênção do repouso diário e semanal (Sábado). Fundamental também é adotar a bênção de uma alimentação saudável de acordo com o plano original de Deus, a qual previne muitas das doenças degenerativas da nossa sociedade como o cancro, acidentes vasculares cerebrais e enfartes, hipertensão arterial, diabetes, etc.


Lembramos-lhe que a dieta original de Deus, para a felicidade do ser humano, incluía cereais integrais, frutas frescas e oleaginosas, legumes e verduras (Gén 1:29).  


De realçar ainda, que um estilo de vida temperante e equilibrado inclui a confiança em Deus que, por sua vez, proporcionará o bem-estar físico, emocional e espiritual que capacita o ser humano a obedecer e a viver de acordo com as leis divinas. 

 

É por tudo isto que acreditamos que a melhor prenda que podemos dar a alguém (incluindo Deus) não é o que temos, mas o que somos

 

Bom Natal na vivência dos princípios cristãos !!!

Natividade Quintino, Coordenadora da Oficina de Talentos

Copyright © 2013 Departamento de Educação da UPASD, All rights reserved.
União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia
Rua Acácio Paiva nº35
1700-004 Lisboa