Copy
Newsletter com a informação oficial da Rede Escolar Adventista em Portugal.
View this email in your browser

A Integração da Fé 
nas Escolas Adventistas

Provavelmente o conceito da Intregação da Fé no processo de ensino e de aprendizagem não lhe é estranho. Em concreto, este é mais um dos pilares ou princípios distintivos da Educação Adventista. Mas, mesmo assim, perguntará: afinal o que é? Como, quando e onde acontece? Será uma realidade ou uma utopia? Será expontâneo ou intencional e planificado? Que papel têm os professores neste processo? 

Para encontrar as repostas a estas e a outras perguntas, desafiámo-lo a ler a Newsletter deste mês e a reflectir nas estratégias, testemunhos e sugestões que alguns dos profissionais de educação das Escolas Adventistas em Portugal nos deixam. 

Porque exercer a docência acarreta uma grande responsabilidade, a de conduzir crianças, adolescentes e jovens, ore para que a Integração da Fé seja uma realidade consolidada e que os educadores das Escolas Adventistas em Portugal e no mundo sejam veículos do amor de Deus.


Tiago Alves
Diretor do Departamento de Educação da UPASD

"Trabalhemos para o presente e para a eternidade"
Externato Adventista do Funchal

Unicamente os que cooperam com o Céu no plano da salvação podem saber o que significa, em sua simplicidade, a verdadeira educação.

Ellen White, Conselhos aos professores, pais e estudantes, pág. 48 
 

A integração da fé no ensino é um processo intencional mediante o qual os professores implementam atividades enfatizando a perspetiva bíblica. O objetivo é que os alunos, ao terminarem o primeiro ciclo tenham interiorizado os valores cristãos, tenham adquirido conhecimento baseado na bíblia, tenham fortalecido a sua amizade com Jesus, sintam vontade de servir motivados pelo Amor ao próximo e acreditem no reino eterno que Jesus prometeu. Os professores que nisto acreditam procuram descobrir e construir materiais que ensinem os conteúdos curriculares conectados com a fé, os princípios e valores bíblicos. Ser professor numa instituição adventista é um privilégio e um desafio também por isto. Além de podermos fazer aquilo que gostamos – ensinar – também podemos aproveitar o tempo que os alunos passam connosco para transmitir-lhes a fé.

Com um programa curricular tão extenso, a gestão do tempo para conciliar a fé com os conteúdos parece-nos uma tarefa complexa. Só após vivenciarmos esta experiência concreta, podemos comprovar na prática que a partir da bíblia podemos ensinar conteúdos do currículo, estando a trabalhar o programa em simultâneo com os valores cristãos que desejamos que os nossos alunos guardem nas suas mentes e coração. E como refere Ellen White “A educação adquirida pelo estudo da Palavra de Deus, dilatará o estreito âmbito da instrução humana, e apresentará à mente conhecimento incomparavelmente mais profundo, a ser alcançado por meio de vital ligação com Deus.”(1) Pude vivenciar esta verdade com a minha turma de forma muito real. É possível integrar a fé no ensino a partir das mais diversas motivações e áreas curriculares, necessitando de alguma criatividade e vontade. O que me parecia difícil inicialmente tornou-se muito natural e espontâneo depois, levando-me a encontrar formas de integrar a fé através de muitos conteúdos curriculares.

É importante que os professores planifiquem e intencionalmente integrem a fé no ensino, no entanto gostaria de referir que ainda que não estejamos inteiramente preparados, todas as oportunidades devem ser aproveitadas para partilhar com os alunos a fé.

Maior responsabilidade do que implementar atividades é refletir o caráter de Cristo nas nossas atitudes e palavras. Devemos fazer a diferença nas nossas instituições não apenas através do estudo da Bíblia, mas também através do nosso exemplo cristão. “Os professores de nossas escolas tem pesada responsabilidade a enfrentar. Devem ser em suas palavras e caráter o que desejam que seus estudantes se tornem: homens e mulheres que temam a Deus e obrem a justiça. Se eles mesmos conhecem o caminho, podem adestrar a juventude a andar nele. Não somente os educarão nas ciências, mas os ensinarão a ter independência moral, a trabalhar por Jesus, e a assumir encargos em Sua causa."(2) 

As nossas salas também devem transmitir a fé aos alunos. Imagens de Jesus, de histórias bíblicas, excertos da bíblia devem estar expostos para que os pensamentos dos alunos possam ser elevados ao Mestre. As canções que cantamos com as crianças devem também transmitir aos seus corações a tranquilidade e o Amor de Jesus. As meditações matinais que fazemos com os nossos alunos permitem que se acalmem e estejam mais recetivos à aprendizagem.

No meu entender, a integração da fé no ensino implica todos os momentos diários que passamos com os nossos alunos, aquilo que ensinamos, a forma como falamos, o modo como repreendemos o que fazem errado, quando oramos com eles para que corrijam comportamentos ou ultrapassem dificuldades de aprendizagem. Temos consciência de que nem sempre a nossa fé está em consonância com as nossas ações, mas temos a certeza que Deus abençoa o esforço daqueles que se colocam em suas mãos e compensará as falhas. “Trabalhemos para o presente e para a eternidade. Trabalhemos com todas as forças que Deus nos concedeu, e Ele abençoará nossos esforços bem dirigidos. O Salvador anela salvar os jovens. Ele Se regozijará, vendo-os em redor de Seu trono, vestidos nos trajes imaculados de Sua justiça. Ele está esperando para lhes colocar sobre a cabeça a coroa da vida,…”

(1) Ellen White, Conselhos aos professores, pais e estudantes, pág. 14.

(2) Ellen White, Conselhos aos professores, pais e estudantes, pág. 48.

Professora Natércia Ferreira

Estratégias
de Integração da Fé

Colégio Adventista
de Oliveira do Douro

No CAOD, cada manhã começa com momentos de meditação que facilitam o encontro dos alunos com Deus. No entanto, se a sua experiência se basear apenas nestes parcos momentos, não podemos esperar que cada um deles encontre o Salvador. Tal como refere Ruben Aguilar, em cada sala de aula das escolas adventistas, deve haver o cuidado diário de “selecionar lições das disciplinas escolares para integrá-las como temas bíblicos”.  Para mim isto reforça a diretriz de Deus, quando se refere ao tipo de educação que Ele quer para cada criança que eduquemos, que partilhemos o Seu amor “assentado… andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.” (Deuteronómio 6:7), ou seja em todos os momentos e oportunidades do dia.
Desta forma, lecionar numa escola adventista é mais do que transmitir conhecimentos. 

É ajudar os alunos a reconhecer Jesus como seu Salvador e fazer com que Ele se torne real e verdadeiro no seu quotidiano.

Assim sendo, poderíamos elencar enumeras atividades em que tentamos integrar a fé com os objetivos de cada área disciplinar. Por exemplo, quando trabalhamos a classe de palavras dos adjetivos qualificativos, foi proposto a cada aluno encontrar adjetivos que qualificassem o nome Jesus. Fizemos uma grande lista que foi registada no caderno e posteriormente construído um cartaz para que pudéssemos partilhar todas essas qualidades com os outros.

Noutra ocasião, como introdução ao conteúdo “formas de relevo”, de Estudo do Meio, exploramos a letra de um hino nosso conhecido que faz a comparação entre as características de Deus e algumas formas de relevo. 

Neste mês de março e a propósito da Páscoa, foi desenvolvida uma actividade que consistia em exercícios de simetria e de motricidade fina. Desta forma os alunos aprenderam os verdadeiros símbolos da Páscoa.
 

Como docente, o meu desafio diário é encontrar meios de estabelecer relações entre o programa curricular e verdades bíblicas de modo a transformar a aquisição de conteúdos e/ou competências no ‘verdadeiro’ processo ensino-aprendizagem, aquele que contribui positivamente para a construção do caráter dos meus alunos para a eternidade.

 

Célia de Abreu, docente do 3º ano do CAOD

"A minha graça te basta"
Colégio Adventista de Setúbal

Sabemos que toda prática educativa pressupõe uma filosofia educacional que lhe define os propósitos, os meios e os fins dessa educação.

Ao ser integrada a fé nas diversas áreas curriculares, estamos a cumprir o alto ideal de desenvolvimento harmonioso das faculdades físicas, intelectuais e espirituais da criança. Deste modo, estamos a preparar a mesma, não só para o serviço do mundo atual, mas também para a eternidade.

Ao abordar o tema “À descoberta do ambiente natural“ da área de estudo do meio do 2º ano de escolaridade, não se pode ficar indiferente quanto à beleza da natureza que Deus criou. Todo o estudo é orientado para o plano da criação, bem como os efeitos mortíferos que o pecado provocou na mesma. É de todo importante também, promover o contato com a mesma, bem como preservá-la. São abordados os cuidados a ter, quais os agentes poluentes, o que evitar fazer para não destruir a mesma. Nunca devemos permitir que os nossos alunos esqueçam que a criação é um ato de amor de Deus para com a humanidade.

Isabel Teixeira - professora do 1º e 2º anos do C.A.S.

 

Após quase uma década a lecionar numa escola da comunidade posso dizer que sinto-me preenchida a nível psíquico e emocional apenas após a experiência como professora numa escola Adventista. 

Nós, professores, entregamo-nos aos nossos alunos e à nossa missão como um todo e a nossa fé faz parte desse todo.

A integração da fé na sala de aula deve ser estruturada e planeada mas a espontaneidade das perguntas e a informalidade na abordagem dos temas que surgem das dúvidas do dia-a-dia são os momentos que me dão maior prazer. 

É tão bom semear boas sementes e acalmar os medos nestas mentes jovens. Como a maior parte dos alunos do C.A.S. provêm de famílias não Adventistas as dúvidas são muitas e variadas e a escola é o local ideal para as analisar e tentar resolver. Quantas destas sementes espalhadas durante as aulas poderão, mais tarde, vir a dar o seu fruto. “(...) muitas destas crianças e jovens encherão de admiração o povo pelo seu testemunho em favor da verdade, o qual será dado de modo simples, no entanto com espírito e poder.” (i) 

Abrir a Bíblia durante a aula de Português onde o texto fala do oculto e mostrar a história do rei Saul e da sua terrível experiência com estas práticas, ou ainda, na aula de Matemática, quando abordamos o conceito de infinito, são alguns dos exemplos trabalhados na sala de aula.

É importante, que diariamente, o professor peça a orientação de Deus e esteja disposto a ouvir a voz do Espírito Santo. “Professores, despertai às vossas responsabilidades, aos vossos privilégios. Bem podeis perguntar: Quem é idôneo para estas coisas? “A Minha graça te basta” (2 Coríntios 12:9) é a afirmação do grande Mestre. (...). Podeis, porém, em Sua sabedoria e força, triunfar nobremente.”. (ii)

(i) White, Ellen G. “A nossa Responsabilidade”, in “Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes”, pág. 148.

(ii) White, Ellen G. “A nossa Responsabilidade”, in “Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes”, pág. 149

Marta Machado – professora do 3º e 4º anos do C.A.S

Imitadores de Jesus...
Creche e Jardim de Infância Arco-Íris, Setúbal

Ser um Estabelecimento Educacional Cristão para a Infância, que prima pela excelência dos seus serviços, princípios e valores é a nossa visão. Esta caminhada para a excelência pede-nos que a cada dia cresçamos como indivíduos e como profissionais e que esta individualidade se deixe atravessar constantemente pela Luz para que o feixe colorido seja visto na forma harmoniosa de um Arco iris.

A educação cristã não se traduz pelos momentos devocionais que um professor tem a cada manhã com o seu grupo, à leitura da Bíblia e à oração. 

A integração da fé no ensino implica que toda a planificação de atividades, programas e eventos, bem como toda a planificação administrativa, decisões e  regulamentos,  reflitam uma atitude como a de Cristo.

Implica que cada um de nós interiorize os principios e ensinos bíblicos e seja capaz de os viver e transmiir de forma natural em qualquer espaço e em qualquer momento. É o nosso currículo informal que de mãos dadas com todos os objetivos académicos, permitirão que as nossas crianças tenham um encontro pessoal com Jesus e faça do estabelecimento  uma verdadeira escola cristã.

Parecería delicado analisar e avaliar a vida espiritual do estabelecimento, se tivesse como objetivo julgar pessoas e não melhorar o nosso trabalho futuro. Através do nosso Plano Diretor de Desenvolvimento Espiritual, definimos metas que identificam as verdades e os valores espirituais, cognitivos e relacionais, que apontam à razão de ser do nosso estabelecimento (missão) e à visão desejada, após avaliações refletidas de diagnósticos e indicadores mais ou menos claros da realidade do Arco Íris.

A dificuldade para integrar a fé no ensino não está em encontrar um modelo, pois Esse está encontrado. No entanto, «Não basta, porém, que o professor possua natural aptidão e cultura intelectual. Estas são indispensáveis, mas, sem a habilitação espiritual para a obra, não se acha preparado para nela empenhar-se”, pois «Quanto mais possua o mestre de verdadeiro conhecimento, tanto melhor efetuará o trabalho» (WHITE,Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, p. 229).

Cada colaboradora do Arco Íris, em sintonia com a Filosofia da Educação Adventista, quer ser uma imitadora de Jesus, para que no ambiente escolar e na relação com os outros, possa pôr em prática o que a teoria rege. Jesus não só ensinou a Palavra de Deus, Ele foi a Palavra.

…e nesta caminhada para a excelência, é necessário compreender que MUDAR é uma experiência pessoal, um processo e não apenas um acontecimento.

D. T.  da Creche e J.I. Arco Íris

Paula Girão

A integração Fé-Ensino na
Oficina de Talentos, Lisboa

A cosmovisão adventista da educação tem o duplo objetivo: preparar os alunos para serem espiritualmente íntegros e também excelentes profissionais nas diversas áreas do conhecimento humano. A Integração da Fé no Ensino propõe selecionar lições dos conteúdos curriculares e integrá-las com temas bíblicos, alcançando assim as metas cognitivas, físicas, sociais e espirituais.   

Na Unidade de Ensino Individual - Oficina de Talentos, em Lisboa, a  Integração Fé-Ensino  é operacionalizada por toda a comunidade escolar, a nível curricular e extra curricular.  Sabendo que o binómio Fé-Ensino só é possível por inspiração do Espírito Santo, privilegiamos a comunhão e consagração diárias a Deus. Todos os agentes educativos da OT envolvem-se  dedicadamente no desempenho de uma tarefa sobre humana: “educar para a eternidade.” 

Como?  É o que vamos partilhar neste texto. 

Sala dos 2 anos - Creche

Para ensinarmos o que é a FÉ a crianças tão pequenas falámos das Emoções e das suas causas. Também concluímos que cada pessoa tem uma maneira própria e especial de sentir e demonstrar as suas emoções e que não é só a cara, mas todo o nosso corpo pode revelar o que se sente em determinado momento: alegria, tristeza, zanga, medo...
Realizámos atividades lúdicas dramatizando situações emotivas. Na expressão plástica simbolizámos emoções. Aprendemos com o nosso maior exemplo: Jesus. 

Mostrámos e explicámos histórias e situações em que Jesus levou determinada pessoa ou pessoas a sentirem e a demonstrarem, através da sua cara ou expressão corporal, uma emoção. Por exemplo, utilizámos e explorámos o episódio de Jesus a acalmar a tempestade. Através desta situação, pudemos explorar o medo e a zanga.  Medo que uma tão grande tempestade afundasse o barco; zanga  dos discípulos  por Jesus estar a dormir e aparentemente, nada fazer para acalmar a tempestade.


Sala do Pré Escolar  -  Educação de Infância

Na sala do Pré-escolar, todas as temáticas são aproveitadas para mostrar o amor de  Jesus. Cada pormenor da natureza apresenta evidências que ajudam a ensinar o  Seu amor e outras lições para a vida. Por exemplo, quando chega a primavera, gostamos de explorar e cuidar das plantas do nosso jardim com as crianças. Levámo-las ao exterior para olharem, tocarem nas plantas, observarem o seu crescimento, arrancarem as ervas, sentirem a terra e os vários odores. Nas últimas semanas, temos explorado o que chamamos as Palavras Sábias: bom dia/good morning, por favor/please, obrigado/thank you e desculpa/sorry. Realçamos o nosso Jesus que para além de ser educado, foi sábio ao ensinar e amar os outros. Como refere Ellen White: “Não basta (...) que o professor possua natural aptidão e cultura intelectual. Estas são indispensáveis, mas sem habilitação espiritual para a obra, não se acha preparado para nela se empenhar.” 

 

1º Ciclo
O 1.º Ciclo, ao estudar sobre diversos órgãos do nosso corpo, suas funções e importância provocou grande alegria que se refletiu nos olhos das crianças e ouvimos as suas curiosas questões: “Por que temos umbigo? Adão e Eva tinham?”, “Como se formam os gémeos? “Porque é que Esaú não era igual a Jacob?”
Foram, sem dúvida, momentos de grande descoberta e aprendizagem que não fariam sentido sem falarmos do nosso Criador. Assim, levámos os alunos a pensar no grande amor de Deus por nós que se reflete na beleza do nosso corpo criado por Ele. Um corpo que funciona de uma forma fascinante, onde cada órgão trabalha de forma complexa e perfeita para o bem de todo o corpo. “Cada respiração, cada pulsar do coração, é uma evidência do cuidado d’Aquele em Quem vivemos, nos movemos e temos existência. Desde o menor inseto até ao homem, toda a criatura vivente depende diariamente de Sua providência” (EGW- Educação p. 130)
Os alunos examinaram ainda os conselhos que Deus nos deu sobre o modo como devemos cuidar do nosso corpo para que possamos viver mais e melhor. 

Obrigado Pai pelo corpo que nos deste!

 

2.º Ciclo

No segundo ciclo, a integração da fé é feita por todos os professores e em todas as disciplinas. 

 - Na disciplina de EMRA a integração da fé é feita de forma direta através do estudo de temas e personagens bíblicos, bem como através da reflexão sobre a vida e obra de indivíduos que têm experimentado, nos anos mais recentes, a ação de Deus na sua vida. 

- Na disciplina de Educação Musical, a música  é encarada como uma vertente muito importante de  louvor, adoração e testemunho. Pretende-se desenvolver no aluno as competências necessárias ao crescimento espiritual pessoal e noção de serviço, nas suas respetivas igrejas. 

- Na Língua Portuguesa procuramos transmitir aos alunos a beleza da comunicação de Deus com o ser humano.

- Em História e Geografia de Portugal procuramos mostrar como o plano de Deus se realiza na humanidade. 
- No ensino da língua e cultura inglesas os alunos aprendem a respeitar pessoas que falam outra língua e cujos hábitos e história são diferentes. A aprendizagem é complementada com o ensino da cultura bíblica, permitindo perceber a diferença entre povos separados no tempo e no espaço.  A importância deste conhecimento é fundamental  para a compreensão da missão que a todos foi confiada: comunicar o Evangelho a toda a nação, povo, tribo e língua.  

- Nas Ciências, como nas Artes,  cada temática é mais um motivo para pensarmos nesse Universo maravilhoso que nos foi oferecido pelo Criador. De onde vem um lápis, como se forma o arco-íris  ou como fazemos andar um carrinho com um painel solar, tudo é uma oportunidade de pensar, partilhar e agir. Pensando no mundo, no eu e no próximo, fazemos de cada momento uma nova oportunidade de ver Jesus – Profª Susana Dias – Matemática, Ciências, Educação Visual e Educação tecnológica

- Nas aulas de Educação Física todas as atividades são associadas à sua importância para a vida cristã. É crucial que os nossos jovens aprendam e pratiquem um estilo de vida fisicamente ativo e saudável mas  também que conheçam e pratiquem atitudes de amor ao próximo. Os jogos e os exercícios, pela sua riqueza na interação social, dependência e cooperação com os outros, aceitação dos erros e superação de barreiras, são um palco privilegiado de treino e exploração das atitudes e valores. Em cada aula, os alunos estão focados no "saber" e no "saber fazer" mas sempre com o olhar dirigido para o mais importante, o seu relacionamento com Deus e com os outros. 

    

Estes são apenas alguns exemplos de como temos vindo a trabalhar a Integração da Fé no ensino das nossas crianças, tendo sempre em mente que a “Bíblia é a única regra de fé e doutrina. E não há nada mais apropriado para dar vigor à mente e fortalecer o intelecto do que o estudo da Palavra de Deus... Se a Palavra de Deus fosse estudada como deveria de ser, os homens teriam uma grandeza de entendimento, uma nobreza de caráter e uma firmeza de propósito que raramente se veem nestes tempos.” (EGW - Fundamentos da Educação Cristã p.126).
 

Professores e educadoras da OT

A Rede Escolar ASD adotará novo mote para os seus Projetos Educativos para os anos letivos de 2015/2018. “Atreve-te…” é o mote aglutinador que motivará o processo de ensino aprendizagem nas escolas adventistas. Esta é uma das estratégias do processo de uniformização da Rede Escolar ASD. Conheça este novo mote no Sábado da Educação deste ano.

Atreva-se a conhecer, a acreditar e a envolver-se neste projeto!


Participe no Sábado dedicado à Educação Adventista, o próximo dia 25 de abril de 2015.
Copyright © 2013 Departamento de Educação da UPASD, All rights reserved.
União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia
Rua Acácio Paiva nº35
1700-004 Lisboa