Copy
Newsletter com a informação oficial da Rede Escolar Adventista em Portugal.
View this email in your browser

A papel dos Avós 
na Educação

Como é bom ter os avós por perto! Quantas vezes já ouvimos esta expressão ou chegámos mesmo a usá-la como reconhecimento de uma realidade inegável. Numa sociedade e vida por vezes tão agitada e preenchida como a nossa, os avós, quando disponíveis e por perto, são de uma utilidade enorme para os seus netos e filhos. Levar ou ir buscar os netos à escola, dar-lhes as refeições, passear com eles, ajudá-los a fazer os T.P.C, são alguns exemplos entre muitas outras relevantes situações. Mas a principal é mesmo garantir o afeto, as aprendizagens e os valores de quem foi acumulando ao longo de toda uma vida e que ainda tem tanto para dar! Sim, os avós são transmissores de valores, bons amigos e confidentes, referências para as crianças e jovens. Poderão ser ainda veículos ou instrumentos divinos para uma educação equilibrada onde as faculdades sociais e espirituais se associam às físicas e cognitivas.

Desafiamos o prezado leitor a ler e a refletir nos textos da Newsletter destes meses de férias de verão. E, caso seja avó ou avô e vá estar nestas férias com os seus netos, usufrua, dando-lhes amor e contribuindo para o seu crescimento.

Boas leituras, boas férias e bom Dia dos Avós!

 
Tiago Alves
Diretor do Departamento de Educação da UPASD

Avós precisam-se!
Oficina de Talentos,
Lisboa
 

Nos tempos de hoje a figurada mãe como “fada do lar” sempre presente é uma imagem cada vez menos real. O mercado de trabalho oferece novas oportunidades às mulheres, sendo elas cada vez mais solicitadas para o desempenho de tarefas e cargos profissionais, que nos tempos, ainda não muitos recuados, eram reservados apenas ao género masculino.

Assim, com a vida profissional tão ativa para ambos os pais é inevitável o apoio de outros familiares, especialmente dos avós na educação dos filhos do casal.

Os netos são de fundamental importância na vida dos avós, porque lhes dá o sentimento de continuação e perpetuação da família.

Ser pai é a coisa mais bela!
Externato Adventista do Funchal


"Pela recordação que guardo da tua fé sem fingimento a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice e estou certo de que também em ti."

2ª Timoteo 1:5

 

 

Desde o  momento em que a vida começou a existir, os pais têm a responsabilidade pelo desenvolvimento tanto físico como espiritual dos seus filhos. É uma tarefa nobre que o nosso Criador nos confiou, não é fácil, tem que haver uma entrega dia a dia a essa mais espetacular missão, com a certeza que não estão sozinhos no cumprimento desta tarefa. Os Anjos estão sempre ao seu lado assim como o Espírito Santo.

A família, em geral, também deve estar envolvida nesta bela missão, onde os avós ocupam um lugar especial.

Ser avós é a coisa mais doce que pode existir, a sua missão fundamental é dar amor aos netos, pois já não pesa sobre os seus ombros a responsabilidade principal, esta sim cabe aos seus progenitores.

"O relacionamento entre avós e netos, além de gostoso, é muito salutar tanto para o bom desenvolvimento da criança, como para a satisfação do idoso. O papel dos avós é de grande importância na vida das crianças, eles representam uma referência familiar, fonte de histórias, relatos e brincadeiras que incrementam o desenvolvimento social e intelectual das crianças.

A importância dos avós no cuidado e educação dos netos já é referida nas Sagradas Escrituras. No livro de Rute, no capítulo 4 lemos o relato do nascimento de Obede. Quando deram a notícia a Noemi disseram-lhe “…pois a tua nora, que te ama, o deu à luz, e ela é melhor que sete filhos…”. E o relato bíblico continua dizendo “… Noemi tomou o menino, e o pôs no regaço, e entrou a cuidar dele…”.

É certo que o papel de educadores pertence em primazia aos pais mas é muito importante que os avós também participem pois estes são por excelência os transmissores das raízes familiares, permitindo aos netos apropriar-se de valores, de histórias do passado, de tradições, de rotinas e de afetos.

Os avós são as figuras que transmitem confiança e segurança; são o cantinho onde os netos colocam os seus medos e os seus anseios; são muitas vezes as pessoas a quem na adolescência contam os seus segredos e com quem partilham as suas experiências. E esta comunicação entre avós e netos muitas vezes lúdica, leve e espontânea é um facto positivo na educação com reflexos incalculáveis no futuro, na vida de adulto.

Assim aconteceu com Timóteo a quem o apóstolo Paulo chamava “amado filho” e se recordava da sua fé “sem fingimento, a mesma que primeiro habitou em tua avó Loide…”.

Nos dias de hoje, onde a agitação reina um apelo se faz sentir: “Avós precisam-se!”                     
 

Josefa Silva, Professora da Oficina de Talentos

Além disso, os avós representam uma forma especial de amor, diferente da dos pais."(Brisasco, consultado em http://familia.com.br/5-cuidados-no-relacionamento-com-netos)

Atualmente, na nossa sociedade onde os pais têm de trabalhar a tempo inteiro, o tempo nobre com os filhos quase que desaparece e é aqui que os avós contribuem com a sua ajuda.

Os avós de hoje já não são aquela figura estereotipada de um idoso usando bengala, cabelos brancos ou baloiçando-se numa cadeira à lareira.

Eles ainda estão ativos e são uma mais-valia passando valores e saberes que ao longo da vida adquiriram.

Existem aqueles momentos únicos quando os avós e netos se juntam partilhando as histórias familiares, relatando as peripécias dos seus pais e as próprias. Para os netos, estes serões levariam horas infindas, onde as histórias ouvidas seriam  recontadas vezes sem fim.

Os avós na maioria das vezes são aquele amigo compincha que alinha em determinadas brincadeiras, que têm um colo, um ouvido sempre atento e estão disponíveis para lhes prestar  atenção. Eles alinham nas ideias mais loucas dos seus netos, mas com certos limites.

Por vezes são permissivos em determinadas regras, mas não lhes é permitido interferir nas orientações dos pais, pois esta função cabe somente a eles. No entanto, existem exceções no caso da ausência dos pais ou na falta destes.

A envolvência dos avós na educação dos netos contribui para um desenvolvimento harmonioso "...fazendo-os crescer em sabedoria, estatura e graça para com Deus e para com os homens" (Lucas 2:52).

Faço assim um apelo a todos os avós para que se empenhem em passar valores de uma fé viva à sua família, para que quando Jesus voltar possam estar todos juntos no Céu.

Judite Teixeira, Auxiliar de Ação Educativa

A responsabilidade dos Avós!
Colégio Adventista de Oliveira do Douro

Os avós sempre desempenharam um papel fundamental na educação dos netos.

Crianças que tiverem avós por perto, crescem mais felizes! Os avós são “Pais a dobrar”, uma segunda parentalidade.

 Os pais educam os filhos, os avós não têm essa responsabilidade tão acentuada. Não têm que duplicar o papel dos pais, mas sim envolver os netos em amor e ternura. Para as crianças os avós ocupam um lugar particular que se traduz na disponibilidade de estar e de escutar, de partilhar brincadeiras e histórias.

Nos relacionamentos entre avós e netos, há um caminho a percorrer. O tempo dos segredos e dos jogos com os avós tende a chegar ao fim com a adolescência e surgem os conflitos, não tanto com os avós, mas com os pais. Neste estádio da vida dos adolescentes e até já dos jovens adultos, os avós podem ser considerados confidentes discretos e recetivos, mais prontos a ouvir os netos do que os filhos, quando estes eram jovens.

No relacionamento com os netos, os avós não podem esquecer que é necessário estabelecer limites. Devem ser conselheiros, educadores e um conforto nos momentos difíceis, mas não devem estragar os netos com mimos, embora os mimos sejam ingredientes do processo educativo que resulta em crianças mais seguras e independentes.

Os avós devem respeitar os “limites” estabelecidos pelos pais através de um diálogo com estes, de modo a procurarem não entrar em contradição no que diz respeito à educação dos netos. Podem brincar, levar a passear, dar conselhos, ter pequenos segredos, mas sempre respeitando a disciplina e os costumes sugeridos pelos pais. Em matéria de educação, a última palavra cabe aos pais. Já Ellen White afirma, no livro “Orientação da Criança” p. 288: ”As mães nunca devem permitir que suas irmãs ou mães interfiram na sábia direção de seus filhos. (…) Em questão de direção dos próprios filhos, (os pais) não devem permitir interferência (…)”.

Uma das responsabilidades dos avós é a transmissão de valores: espirituais, culturais e familiares, como no caso de Loide em relação a Timóteo.

Cabe ainda aos avós o dever de encorajar os filhos, isto é, os pais das crianças, em relação às suas competências parentais. Podem ajudá-los a ter confiança no tipo de educação que pretendem transmitir.

Está comprovado que os mais velhos gozam de melhor saúde quando estão em contacto com as gerações jovens, pois é gratificante participar na educação dos netos para a eternidade!

Salomão, em Provérbios 17:6 diz que a “Coroa dos velhos são os filhos dos filhos…”

Se os idosos são coroa de honra para os seus descendentes, os netos são a coroa dos velhos. 

Os avós têm então um ministério educativo cujo objetivo deverá ser poder exclamar: “Eis-me aqui com os filhos (e os netos) que me deu o Senhor.”Isaías 8:18

 

Victor Alves, avô de uma aluna do CAOD

A Importância dos Avós na Educação da Criança
Colégio Adventista de Setúbal

 

O apóstolo Paulo, no capítulo 1 e verso 5 da sua 2ª carta a Timóteo, fala da fé sem fingimento que observou na sua avó Lóide e na sua mãe Eunice. Deste versículo depreende-se que Paulo adverte o jovem Timóteo a seguir o exemplo da sua avó e da sua mãe, exercendo a mesma fé genuína.

Os avós têm um grande privilégio e uma enorme responsabilidade em incutir nas mentes em desenvolvimento as sementes da verdadeira fé que as levarão a sentirem-se seguras e confiantes. Deste modo contribuem para a evolução harmoniosa do carácter e do fortalecimento da auto-estima.

Podem partilhar experiências pessoais de aparentes fracassos transformados em vitórias e incentivar os pequeninos a seguirem o modelo de Jesus para alcançarem um bom equilíbrio emocional e uma determinada resistência ao pecado.  

“O futuro da família está na transmissão transgeracional da sua história, tornada presente pelos testemunhos dos avós, agora mais importantes perante a crise dos pais e da sua vida conjugal” Daniel Sampaio – A Razão dos Avós p.11

Em Março de 2010 encontrei-me inesperadamente, com o meu neto de quase 4 anos, no meio de uma tempestade de neve para a qual não estávamos preparados, nem com roupa nem com calçado adequados. À nossa volta homens fortes caiam ao tentarem caminhar. Orei com o meu pequenino, ambos amávamos a Jesus cantávamos bonitos hinos e líamos as belas histórias da Bíblia. Decidi exercer a fé e juntos pedimos a proteção de Deus e dos seus anjos para cobrirmos os 500 metros que nos separavam de casa. Metro após metro avançamos cautelosos mas confiantes até chegarmos em segurança.  Ainda hoje, passados alguns anos, relembramos juntos o episódio de quando os anjos nos acompanharam até casa no meio da neve.

Os avós cristãos são uma mais valia na educação das crianças. Devem ser coerentes e firmes, usando tanto amor como disponibilidade para ouvi-las e ajudá-las a ultrapassar os medos e as dúvidas que as atormentam, inserindo-as na rotina familiar com os seus deveres e privilégios, mas sobretudo,  ajudando-as a confiarem nas promessas de Jesus.

Avó de um aluno do C.A.S.

Os alunos, o pessoal docente e não docente do Externato Adventista do Funchal, sob a direção de um Encarregado de Educação professor de música, lançaram um CD de músicas cristãs, intitulado “Atreve-te”, o mote dos Projetos Educativos da Rede Escolar Adventista para os anos letivos de 2015/2018. Se quiseres adquirir este trabalho musical, contacta com o Secretário de Educação da tua igreja. Atreve-te a ouvir boa música! 
Copyright © 2013 Departamento de Educação da UPASD, All rights reserved.
União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia
Rua Acácio Paiva nº35
1700-004 Lisboa